Editorial Agosto 3, 2020

Abordagem do Fórum Mundial

Em 2016, a Assembleia Geral das Nações Unidas e o Conselho de Segurança aprovaram a resolução chamada “Paz Sustentável”, com uma nova abordagem que pretende fortalecer significativamente o esforço internacional para prevenir, trabalhar em conjunto e unir esforços diante da onda de conflitos que estão se desenvolvendo ao redor do mundo.

O conceito foi escrito tendo como base a Agenda 2030 e respaldado pelos 17 ODS. A resolução reconhece que não pode haver desenvolvimento sustentável sem paz, e não há paz sem desenvolvimento sustentável. Ademais, contém uma estrutura de resultados compartilhados com foco em pessoas, e abarca o nexo entre a construção da paz, o desenvolvimento e a ajuda humanitária, que pode ser usada para fortalecer a abordagem para a paz sustentável e alinhá-lo com a mais a agenda mais completa dos ODS.

A paz deve ser entendida, em termos gerais, como um objetivo e um processo para construir uma visão comum de uma sociedade, assegurando que se tomem em conta às necessidades de todos os segmentos da população, e cobrindo atividades destinadas a evitar o surto, a escalada, a continuação e a recorrência de conflitos. É uma tarefa e uma responsabilidade compartilhada dos governos e de todas as outras partes interessadas locais e nacionais, incluindo a sociedade civil.

Por sua vez, o conceito de “paz sustentável” está fortemente relacionado com a boa governança. Garantir uma governança local eficaz é a chave para reduzir desigualdades, melhorar as relações entre as pessoas e as instituições públicas e promover a paz no meio rural e urbano.

Como resultado das duas primeiras edições do Fórum realizadas em 2017 e 2018, se produziu uma agenda pública para facilitar a construção da abordagem de cidades de convivência e paz. Essa agenda, que pode ser consultada aqui, busca implementar políticas públicas e alianças territoriais para salvar vidas e transformar as nossas cidades em lugares mais felizes, contemplando medidas como:

  • Combate às violências interpessoais;
  • Defender a cidade contra a guerra;
  • Prevenir e combater os extremismos violentos;
  • Combate ao racismo, a xenofobia e outras formas de intolerância;
  • Incorporar o processo migratório;
  • Lutar contra o crime organizado;
  • Prevenir e combater a corrupção;
  • Combater à violência contra as mulheres;
  • Garantir o direito à cidade.