A violência baseada no gênero é um dos atos de violência com maior impacto social, tanto pela alta percentagem da população afetada, quanto pelo grau de aceitação e normalização social sobre este problema. A violência contra a mulher é praticada principalmente na esfera privada o que tona o processo de detenção muito difícil.

A violência sofrida pelas mulheres está diretamente ligada à distribuição desigual do poder e às relações assimétricas estabelecidas entre homens e mulheres, o que perpetua a desvalorização do feminino e sua subordinação ao masculino.

O machismo, embora em declínio como discurso público, ainda está muito presente no espaço privado, um lugar onde ocorre principalmente a violência de gênero. Assim, o espaço mais inseguro para as mulheres é a esfera privada, onde o abuso e a violência são perpetrados por pessoas conhecidas em um espaço “supostamente seguro”, que se transforma em um lugar onde a violência é muitas vezes invisível para quem está fora deste núcleo.

As cidades e territórios de paz devem promover políticas que incorporem a perspetiva de gênero, trabalhando na prevenção da discriminação e da violência contra mulheres e grupos LGTBI +, na promoção de formas anti- racistas, xenófobas, aporófobas, homofóbicas e outras formas de intolerância.